Reservatório de Santa Maria começa a abastecer Núcleo Bandeirante e o Park Way, no DF

Reservatório de Santa Maria começa a abastecer Núcleo Bandeirante e o Park Way, no DF

As regiões do Núcleo Bandeirante e do Park Way, no DF, que eram abastecidas pelo reservatório do Descoberto passaram a receber água da bacia de Santa Maria. A mudança ocorreu após a Companhia de Sane

Leia tudo

Reservatório de Santa Maria começa a abastecer Núcleo Bandeirante e o Park Way, no DF...



As regiões do Núcleo Bandeirante e do Park Way, no DF, que eram abastecidas pelo reservatório do Descoberto passaram a receber água da bacia de Santa Maria. A mudança ocorreu após a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) ter finalizado mais uma etapa das obras de interligação entre as barragens.

A medida pretende “desafogar” o reservatório do Descoberto – responsável pelo fornecimento de água para mais 60% do DF – que opera desde outubro de 2017 com níveis abaixo do estipulado pela Adasa, Agência Reguladora de Águas da capital. Nesta terça-feira (5), o volume da bacia era de 10,1%. A meta para o mês de dezembro é 17%.

Desde agosto, a Caesb vem fazendo obras para permitir a interligação entre os dois maiores sistemas distribuidores de água do DF. A partir do momento em que o Park Way e o Núcleo Bandeirante começaram a receber água de Santa Maria, a tubulação que vêm do Descoberto foi fechada.

Com isso, de acordo com a companhia, "tem sido possível transferir 370 litros por segundo entre o Santa Maria e o Descoberto". Segundo a Caesb, as intervenções devem continuar até que a capacidade chegue ao patamar de 700 litros por segundo.

Inicialmente, a interligação permitiu transferir 220 litros por segundo. Dessa forma, Guará I e II começaram a receber água do Santa Maria. Depois da ampliação, Lúcio Costa, Candangolândia e, mais recentemente, Núcleo Bandeirante e o Park Way entraram na rota de abastecimento do Santa Maria, que operava com 22,7% da sua capacidade nesta terça (veja todas as mudanças abaixo).

Obras emergenciais da Caesb permitiram ligao entre os reservatrios de Santa Maria e do Descoberto Foto CaesbDivulgaoObras emergenciais da Caesb permitiram ligao entre os reservatrios de Santa Maria e do Descoberto Foto CaesbDivulgao

Obras emergenciais da Caesb permitiram ligação entre os reservatórios de Santa Maria e do Descoberto (Foto: Caesb/Divulgação)

Essas obras são executadas, conforme informou a Caesb, com recursos da tarifa de contingência, aplicada de outubro de 2016 a junho deste ano. O calendário de racionamento não muda.

Outras obras

Além da interligação entre as duas barragens, a Caesb inaugurou outras obras, que aumentaram a captação de água em 16,5%. Segundo cálculos da própria empresa, a capacidade de puxar água da natureza passou de 9.500 litros por segundo para 11.076 litros por segundo, no auge de captação.

  1. o subsistema do Bananal, capaz de retirar uma média de 726 litros por segundo do córrego. A obra custou R$ 20 milhões, bancados pela Caesb com financiamento do Banco do Brasil, e deve contribuir com o abastecimento de 170 mil habitantes de áreas como Asa Norte, Sudoeste, Cruzeiro e Noroeste.
  2. a obra emergencial de captação do Lago Paranoá, que retira cerca de 700 litros por segundo do lago artificial, em uma estação no Setor de Mansões do Lago Norte. A estrutura custou R$ 42 milhões, pagos pelo Ministério da Integração Nacional, e envia água para o sistema Santa Maria/Torto.

“A transferência de água do Sistema Santa Maria-Torto para o Descoberto só é possível devido à ampliação da capacidade de produção de água da Caesb com a inauguração do Subsistema do Lago Norte e do Subsistema do Bananal”, disse o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, em material divulgado pelo governo.

Juntas, as duas empreitadas retiram pouco mais de 1,4 mil litros por segundo da água que iria para o Lago Paranoá.


Posts Relacionados

.