Jogador de futebol mais velho do mundo renova contrato

Jogador de futebol mais velho do mundo renova contrato

A carreira de Kazu é marcada por marcas e recordes. Em 1982, Kazu embarcou sozinho para o Brasil, aos 15 anos, com o sonho de se tornar um jogador profissional. O pai de Kazu era um empresário milionário e apoiou financeiramente a aventura do filho. Kazu atuou quatro anos nas categorias de base do Juventus, em São Paulo.

Leia tudo

Jogador de futebol mais velho do mundo renova contrato.

Prestes a completar 51 anos, lendário atacante japonês Kazuyoshi Miura disputará sua 33ª temporada. Conhecido como Kazu, ele atuou no futebol brasileiro, italiano e com a camisa da seleção do Japão.
Na temporada de 2017 Kazu participou de 12 partidas da 2 diviso da J-League e marcou um gol pelo Yokohama
Na temporada de 2017, Kazu participou de 12 partidas da 2ª divisão da J-League e marcou um gol pelo Yokohama
Foto: DW / Deutsche Welle

Kazuyoshi Miura, de 50 anos, prolongou nesta quinta-feira (11/01) seu contrato com o Yokohama, da 2ª divisão do futebol japonês, por mais um ano. O veterano atacante, conhecido como Kazu, atuou por quase uma década no futebol brasileiro e defendeu as seleções do Japão de futebol e futsal.

PUBLICIDADE

O veterano atacante completa 51 anos de idade em fevereiro e, com a extensão de contrato, inicia, assim, sua 33ª temporada como jogador profissional. Na última temporada, Kazu participou de 12 partidas da 2ª divisão da J-League e marcou um gol - na vitória por 1 a 0 contra o Thespakusatsu Gunma, em março de 2017.

Também em março, uma semana antes no empate em 1 a 1 com o V-Varen Nagasaki, Kazu atraiu a atenção da imprensa esportiva por ter se tornado o jogador mais velho a atuar numa partida profissional com a idade de 50 anos e sete dias - ele superou o recorde de longevidade da lenda inglesa Stanley Matthews, que era detentor da marca desde 1965.

Ascensão no Brasil e carreia de recordes

A carreira de Kazu é marcada por marcas e recordes. Em 1982, Kazu embarcou sozinho para o Brasil, aos 15 anos, com o sonho de se tornar um jogador profissional. O pai de Kazu era um empresário milionário e apoiou financeiramente a aventura do filho. Kazu atuou quatro anos nas categorias de base do Juventus, em São Paulo.

Em 1986, no Santos, Kazu se tornou o primeiro japonês a jogar no Brasil. Ele seria emprestado ao Palmeiras e ao Matsubara. No ano seguinte, ele se tornou o primeiro jogador asiático a defender as cores de um clube nordestino - Kazu foi campeão alagoano com o CRB.

E Kazu continuou ganhando manchetes na mídia esportiva. Em 1988, foi o primeiro japonês a marcar um gol no futebol brasileiro, quando atuava pelo XV de Jaú, do interior de São Paulo. Ele balançou as redes no Campeonato Paulista em partida contra o Corinthians. No ano seguinte, foi campeão paranaense com o Coritiba, antes de retornar ao Santos em 1990.

Kazu atuou depois ainda por Yomiuri/Verdy Kawasaki (hoje, Tóquio Verdy), Genoa (onde se tornou o primeiro japonês a atuar no Campeonato Italiano, na temporada 1994/1995), Dinamo Zagreb, Kyoto Purple Sanga, Vissel Kobe, Sydney FC e está no Yokohama desde 2005.

Com a seleção do Japão, Kazu foi campeão da Copa da Ásia de 1992 e foi o artilheiro das Eliminatórias Asiáticas para as Copas do Mundo de 1994 (13 gols) e de 1998 (14 gols). Ao todo, ele vestiu a camisa da seleção em 89 partidas e anotou 55 gols - segundo maior artilheiro da história da seleção japonesa. Ele foi eleito o melhor jogador da Ásia, em 1993. No entanto, Kazu nunca disputou uma Copa do Mundo.

O sonho do Mundial foi concretizado em 2012, quando, aos 45 anos, fez parte do elenco da seleção do Japão na Copa do Mundo de futsal, disputada na Tailândia - torneio vencido pelo Brasil. Obviamente, Kazu é também o jogador mais velho a jogar num mundial de futsal.