Vaga de Rosberg pode ser chance de Nasr permanecer no grid em 2017. Entenda

Vaga de Rosberg pode ser chance de Nasr permanecer no grid em 2017. Entenda

Com apenas três vagas abertas - duas na Manor, lanterna do campeonato, e uma na Sauber - não eram esperados grandes movimentos no mercado de pilotos para a temporada de 2017 na Fórmula 1. Isso até

Leia tudo

Com apenas três vagas abertas - duas na Manor, lanterna do campeonato, e uma na Sauber - não eram esperados grandes movimentos no mercado de pilotos para a temporada de 2017 na Fórmula 1. Isso até Nico Rosberg anunciar sua aposentadoria da categoria, apenas cinco dias após conquistar o título mundial, abrindo uma vaga justamente na equipe que dominou os últimos três campeonatos.
A própria Mercedes admitiu que foi pega de surpresa pela notícia e agora tem uma missão complicada pela frente: encontrar um substituto em dezembro, sabendo que todos os pilotos top estão sob contrato.
E quem está de olho na decisão dos alemães é Felipe Nasr, que ainda busca uma vaga no grid para o próximo ano. Em dois dos cenários mais prováveis, o brasileiro está em posição de lucrar com a situação.
A possibilidade mais óbvia para a Mercedes seria contratar Pascal Wehrlein para fazer dupla com Lewis Hamilton na próxima temporada. Afinal, o alemão é piloto da marca e ainda não tem equipe confirmada para o ano que vem. Isso evitaria qualquer gasto com multa para a contratação de um piloto top e, caso não der certo, é possível ir atrás de algum dos 'figurões' em 2018.
Sabe-se que Wehrlein é o principal rival de Nasr na Sauber e também é dos pilotos que podem ficar na Manor. Sem o alemão na disputa e com a preferência para um piloto experiente para o ano que vem, em que haverá uma grande mudança de regulamento, o brasileiro ganha força.
Outra possibilidade é que a Mercedes faça uma escolha visando o longo prazo e busque o mais talentoso dos pilotos empresariados por Toto Wolff, chefe da equipe: Valtteri Bottas assinou por um ano com a Williams mas, como o time é cliente dos alemães, seria possível fazer um acordo vantajoso para ambos os lados. Com o finlandês, a Mercedes faria uma aposta menos arriscada do que no caso de Wehrlein.
Também neste caso, poderia ser uma boa notícia para Nasr. O próprio piloto revelou que teve negociações com a Williams no decorrer deste ano, antes do time decidir apostar no novato Lance Stroll e seu nome é, inclusive, cotado para a vaga de piloto de testes caso não consiga encontrar uma vaga no grid.
Alonso x Hamilton?
Um dos pilotos sob contrato que adorariam ter uma chance na Mercedes é Fernando Alonso, que se vê em fim de carreira sofrendo na McLaren e nunca escondeu a vontade de voltar a ter um carro competitivo - e medir forças novamente com Lewis Hamilton, ao lado de quem teve uma turbulenta temporada em 2007. A possibilidade do espanhol substituir Rosberg é vista como possível até pelo chefão da F-1, Bernie Ecclestone. "Eles têm novos chefes na McLaren agora. Talvez ele esteja cheio de ficar lá e eles estejam cheios dele", declarou.
No caso de Alonso deixar a McLaren, o time teria de convencer seu outro piloto sob contrato, Jenson Button, a repensar o ano sabático, mas, tendo em vista a felicidade que o piloto demonstrou por poder ter um ano livre, isso seria difícil. Já tendo um estreante a bordo, Stoffel Vandoorne, e sem opções de nomes mais experientes, é difícil imaginar que o time libere Alonso facilmente.
No caso de um dos pilotos da Red Bull ir para a Mercedes, o que parece pouco provável, a empresa respeitaria sua linha sucessória, com Carlos Sainz sendo promovido e o campeão da GP2, Pierre Gasly, assumindo seu posto. O espanhol da Toro Rosso, contudo, também poderia ser uma opção para a Mercedes caso conseguisse uma liberação que seu staff tem tentado há tempos.
Outra movimentação pouco provável do mercado seria a saída de Sebastian Vettel da Ferrari. O time italiano tem uma situação privilegiada, com pré-contratos firmados com vários pilotos do grid.
A decisão da Mercedes está longe de ser simples. Além de considerar que tipo de piloto quer para a próxima temporada e a longo prazo, o time tem questões mais práticas, como o tamanho do cockpit, que já está desenhado para o ano que vem. Um piloto de estatura muito diferente de Hamilton, por exemplo, afetaria o projeto.
Leia mais em: http://zip.net/bqtyVr

Posts Relacionados